quinta-feira, 29 de setembro de 2011

RECICLAGEM



A ASPROVEL - Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis recebeu esta semana um cheque de 74 mil euros, algo em torno de 150 mil reais. Para uma associação que reúne cerca de 150 membros e que tem muitas carências o valor é peuqeno, quase irrisório.
Mas para quem tem tão pouco, qualquer extra é bem-vindo.
Assim a ASPROVEL recebeu o recurso doadO pela francesa ALSTOM.
Geraldo Gonzaga Lima, um dos comandantes da ASPROVEL, era só sorrisos e alegria. A presença de dirigentes da multinacional e do venerável governador Confúcio Moura atraiu a mídia das mais importantes logomarcas.
Do aldo de lá, Michel Boccaccio, diritor geral da Hydro América Latina - ALSTOM. Também o preisdente da Fiero, Denis Baú, o secretário municipal de Desenvolvimento Social e Turismo, Aguinaldo Nepomuceno, entre outros.
A foto postada na página está uma porcaria, isso que dá querer fazer o trabalho dos outros, mas é o seu Geraldo, de camiseta verde, membros da associação e o Boccaccio, de camissa azul.
De acordo com o chefão da ALSTOM, em novembro o presidente da empresa quer visitar a ASPROVEL. Vamos torcer para com ele vir mais algum cheque.
Por enquanto, a associação vai aplicar o valor recebido em melhorias nas condições da entidade. E proporcionar um ambiente mais agradável aos associados, até para que possam desenvolver um trabalho de sepação mais eficaz.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

DE NOVO OS CORREIOS


Não sei o que é pior:
Enfrentar fila da Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil ou dos Correios?

Alguma semelhança entre eles, ou mera coincidência?
Hoje fui na agência central dos Correios, aqui mesmo em Porto Velho.
Eu pensava que a função principal da ECT fosse remessa de correspondências e encomendas, mas não é.
Como assim?
Nos Correios se faz de tudo: paga-se contas, remete-se dinheiro, etc, etc. Mas se você precisar também pode despachar cartas, telegramas e encomendas.
Mas não pode ter pressa.
A atividade fim perdeu espaço. Caiu no rede de "outros serviços" e mandar uma simples carta para uma pessoa querida pode ser um pesadelo.
Como disse, fui lá hoje. Ainda não sou velhinha e não tenho preferência. E segundo a minha senha, só seria atendida 42 minutos depois.
Pode?
Que saudade da ECT dos tempos antigos. A lei era dura,mas a ECT atendia a nossa necessidade.

O TALENTO DO HOBERT



Hobert, um talento que ainda não desabrochou.
Ele esteve em Porto Velho por um tempo. Por aqui as coisas não foram 100%. Acabou voltando para Itaquatiara.
Recentemente sofreu uma grande perda, com a morte da mãe. Mas tomara que ele não desista de seus sonhos, inclusive o de produzir artes.
Hobert, pra você o meu abraço e votos de que encontre o caminho do sucesso.
O desenho aqui postado foi produzido para mim em 2004, assim que ele chegou aqui, ainda adolescente.

SERÁ A PROFISSÃO CERTA?












Arrumação é assim. Encontra-se coisa do arco da velha.
E não é que no meio de tantos papeis antigos encontrei um mais do que especial.
Em novembro de 1997 já tinha uma arquiteta-urbanista em casa e não sabia.
Olha a obra de arte com titulo e tudo.




OLHA ELES AÍ !!!!




A nova galerinha de Arquitetura e Urbanismo está a mil.
Segunda (15) o sonho ganha mais uma forma, com a colação de grau.
A solenidade será lá mesmo na UNIRON.
O CREA que os aguarde. Todo mundo quer registro.

quinta-feira, 30 de junho de 2011

URBANISMO E ARQUITETURA - UNIRON

V A L E U P E S S O A L

Esta e a segunda turma de Arquitetura e Urbanismo da UNIRON.
Só não vale dizer que essa galera vai deixar saudades, porque, ao que tudo indica, eles vão continuar juntos e misturados. Cada um na sua condição, mas sempre cuidando um do outro.
Tomara que seja assim mesmo.
Sucesso a todos.
Aos que não desistiram tudo de bom.
Esforçai-vos, porque a vossa obra terá uma recompensa.
P E S S O A L
P A R A B É N S !!!!!!!!!!!!!

E agora é hora de correr atrás dos patrocínios para pagar as contas, afinal, agosto está ai mesmo. E com ele vem o fechamento destes cinco anos de batalha. Colação de grau, festas, etc.











DIA DE LAMBER A CRIA

A banca temida: Prof. Maurício e profª. Maria Rosa e arquiteta Nassara.
alt=""id="BLOGGER_PHOTO_ID_5624041663389092194" />



Diz o ditado que araruta tem seu dia de minguau. Se até a araruta tem seu dia, que dirá eu, criatura de Deus.
Pois é ontem foi o dia da apresentação do trabalho de conclusão de curso da minha cria.
Fiz umas fotos, não expressam tudo, mas é um pouquinho daquilo que aconteceu ontem na UNIRON - Sopping.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

O PPA DO CONFÚCIO É NOSSO TAMBÉM

Audiência do PPA em Porto Velho

O povo hebreu estava vivendo no Egito há m ais de 400 anos. A nação formada inicialmente por 70 pessoas foi habitar em Gósen e no princípio dispunha de todos os privilégios, porque afinal, seu líder era o segundo homem mais poderoso daquela terra, estava pobre, escravizada, vivendo na penúria. Trabalhava-se muito, mas retinha nada, porque tudo era para enriquecer ainda mais o reino dos faraós.
Cansados, esgotados eles se lembram de Deus e recorrem a ele. Clamam e o socorro vem.
Nós, a maioria dos povos da terra, também estamos assim. Cansados de sermos maltratados, de vermos nossos direitos desrespeitados, etc, etc.
Todavia, pela primeira vez alguém se sensibilizou e resolveu nos perguntar:
- O que vocês querem que seja feito para aliviar a pressão?
- Nós queremos tudo.
- Tudo não dá, só pode ser um pouco de cada vez.
Tudo bem, se é assim nós vamos ver quais são as nossas urgências, os nossos situações mais graves e confiar, para quem sabe alcançarmos uma solução satisfatória.
Esta é mais ou menos a estória do PPA, o Plano Plurianual Participativo que o governo do Estado de Rondônia está tentando implementar. A primeira fase já foi, ou seja, nós pudemos ser ouvidos.
No Egito o povo hebreu teve que passar por maus pedaços para conseguir a tão sonhada libertação. A diferença é que o libertador deles era e é Senhor dos céus e da terra. E nós, que temos apenas um governante, diga-se de passagem, cheio de limitações políticas e orçamentárias, e algumas cabeças com esta boa vontade. Como será o atendimento das reivindicações que apresentamos?
Aquelas 70 pessoas se multiplicaram e se tornaram mais de dois milhões. Nós não chegamos a tanto, mas nossos problemas são saúde, educação etc.
No início dos aos 80 Porto Velho alcançou a meta dos dois por cento de esgotamento sanitário. Decorridos mais de 30 anos e com a população bem mais expressiva, este índice tornou-se insignificante e equivale a zero.
A resposta para esta situação está nos hospitais e postos de saúde. Um povo doente. Não é necessário ser especialista para saber que nosso lençol freático está totalmente contaminado pelos resíduos das fossas sépticas. Elas estão presentes em todos os lugares, seja na frente ou nos fundos das casas, nos lados e às vezes até nas calçadas.
Os artistas quem espaços e recursos para executarem sua arte. Os educadores querem melhores salários. Os ambientalistas exigem respeito às florestas e ao meio ambiente. Os idosos, as crianças e adolescentes, os jovens, os povos indígenas, os agricultores, os delegados, os policiais militares, os médicos, enfim todos querem alguma coisa e na verdade todos têm direito de querer e de exigir melhores condições. Penso que difícil vai ser satisfazer a todos. Vocês se lembram do nosso paralelo. Quando o povo estava no deserto, livre da escravidão, mas em determinado momento faltou determinada iguaria à mesa, alguém gritou lá do fundo, “Moisés seu louco, por que você não deixou agente morrer no Egito? Lá éramos escravos, mas pelo menos tínhamos o que comer.
E agora dr. Confúcio? O que vai ser? Por onde o Senhor vai começar? São muitas as petições. Inclusive a minha.
De uma coisa estou convencida. É preciso que dê certo e se isso acontecer Rondônia vai ter duas vertentes, a saber: antes do PPA Participativo e depois dele. E ai dos governantes que vierem após o PPA e não ouvirem da população onde é que dói mais.
Já pagamos. Agora é esperar para ver.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

DE PACIENTE A AGENTE


Muito se fala de jovens que não querem nada com o batente.
Fábio é uma exceçao. Ele é bem novinho, mas já tem a responsabidade de levar às casas dos telespectadores de Rolim de Moura as notícias do dia. Ele é cinegrafista. Esta aprendendo com a prática e conta que está muito satisfeito.
Fábio é exemplo pra muita gente. Até um dia desses ele apenas assistia a programação da TV, hoje auxilia na sua produção.

A FEIRA NOTURNA DE NOVA BRASILÂNDIA


Mãos calejadas da agricultora que planta, colhe e vende.

Super inhame. O legume é de Brasilândia e pesa quase cinco quilos. Melhor de tudo é a qualidade, garante a feirante, que também trabalha com a roça.

O servidor da Seplan exibe o caxi, ´cujo preparo é comparado a abóbora verde refogada. Que julguem os chefs.

Jiló verdinho. No ponto de ir para a panela. E o preço: apenas R$ 1,00

Olha o alface ai. Que beleza! A produtora rural vende barato e em grande quantidade. Abastece supermercados e restaurantes da região.

A feira é ponto de encontro e só alegria para as famílias.
Nova Brasilândia fica na Zona da Mata. Estrada de acesso asfaltada. Uma beleza.
Na cidade funciona uma feira livre. Até ai sem novidades. Só que a feira de Brasilândia começa às 14 horas e se estende até às 22.
Feiras noturnas talvez sejam comuns em cidades com desenvolvimento acima da média, o que não é o caso, com todo o respeito que a cidade merece.
Além da boa conversa da feira e da falta de pressa, porque a noite não se corre tanto quanto durante o dia, os preços são bem atrativos.
Alface - um montão deles, custa R$ 1,50.

PRIVADAS ESPECIAIS

Imagine um banheiro onde ao invés de sentar, você precise ficar de cócoras¿
Há 25 anos chegava a Rondônia. No portal da cidade, em Vilhena, deparava pela primeira vez com um tipo estranho de privada. Até ai tudo bem. Anos 80, lugar distante.....
Mas não se justifica mais a existência desse tipo de vasos nos dias de hoje.
Desconfortáveis, perigosos, de difícil acesso aos portadores de necessidades especiais, obesos, idosos e blá bla blá, além de muito feios.
Mas não é que na Escola Aluizio Pinheiro Pimenta, em Rolim de Moura tais louças ainda estão em uso ¿ Nos dois banheiros: feminino e masculino.
Cadeirante ali não tem vez. A não ser que seja um acrobata. Mas ainda assim fizeram uma rampinha na travessia. Só esqueceram da porta de acesso ao banheiro, que tem mais de 15 cm de altura.
Mas mesmo assim, pelo menos no feminino colocaram barras.
Um cadeirante que participava do evento realizado ali naquele local, durante todo o dia, uma certa hora precisou usar o banheiro. Mas as barreiras não o deixaram chegar lá. Quando foi informado da existência de barras laterias, ele até achou que fosse piada.
Mas na é. Elas estão lá.
Acessibilidade. Muito se fala, mas pouco se pratica.

ACESSIBILIDADE

sábado, 4 de junho de 2011

AMPLIANDO HORIZONTES COM O PPA

Estamos na caravana do PPA. É isso ai, é mais que oficial. Se não dava para conhecer Rondônia por conta própria, relaxemos e aproveitemos a viagem funcional. Foi esquisito e de surpresa, mas é assim mesmo. Deixei para trás o julgamento das propostas dos concorrentes da publicidade e propaganda do Estado.
Estou curtindo bastante, afinal trabalho não me assusta e desde que era criança ouço falar que o mesmo dignifica o homem. Que seja assim.
Trabalhamos continuamente. Hoje fomos até às 10 da noite com treinamento dos facilitadores, que são colaboradores essenciais para que nosso trabalho tenha um bom resultado, e até um pouco mais tarde no preparo do material para divulgação.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

LAÍS



Está é a Laís, em 2007, um dia desses.
Para os seus familiares a nossa solidariedade em um momento tão delicado.

sábado, 14 de maio de 2011

....AS SURPRESAS DA VIDA....

Na última terça-feira (10.05) li uma notícia na Internet que chamou-me a atenção. Era o assassinato de uma adolescente de doze anos, vitimada pelo ex-namorado. Pelo menos era o que estava lá.
Lembrei-me de um outro crime bárbaro ocorrido há cerca de uns três meses, quando uma menor de 17 anos, foi também brutamente assassinada por um pseudonamorado, de apenas 15 anos, como foi noticiado. Coincidentemente o bairro era o mesmo, o Aponiã.
A morte de uma criança é sempre assustadora. De forma violenta é ainda pior, mas isso não era tudo. Pensei até em fazer um comentário à notícia, mas ao ler o que mais de 20 leitores escreveram, acabei desistindo. Boa parte dos leitores culpavam os pais. E por mais incrível que pareça, essa culpa eles vão levar, mesmo que não a tenham. Imprimi a notícia, porque entendi que teria oportunidade de comentá-la pessoalmente com alguns adolescentes, com os quais convivo diariamente.
Até então, o nome Laís Gonçalves Costa não significava nada. Até que ontem a noite fui abordada por uma conhecida que perguntou: “Tia, a senhora lembra da Laís?” Interpelei qual e ela explicou que se tratava de uma ex-moradora da nossa rua, a qual durante um tempo eu levava para os eventos de crianças da igreja e também aos cultos.
Fiquei pasma, não era para menos. Como pode ser uma menina frágil, indefesa, com tão pouca idade e já envolvida em um relacionamento tão precocemente?
A notícia nos espanta, nos deixa chocados. Mas vai continuar assim ou pior até, se as coisas continuarem normais como são hoje. Meninas e meninos que são ensinados por adultos de que podem tudo, desde que se previnam contra as doenças sexualmente transmissíveis. E algumas vezes contra a gravidez indesejada. Nem sempre dá certo. Basta ver as estatísticas das maternidades públicas, onde cada dia torna-se maior a incidência de meninas de 12, 13 anos e às vezes até menos tornando-se mães.
A novidade do momento é ensinar nossos filhos a enxergarem como normais os relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo. O governo está investindo alguns milhões, para que nas escolas haja a divulgação de um kit que ensina as crianças, adolescentes e jovens a viver bem com tais grupos.
O assunto é polêmico e existe desde que o mundo é mundo, mas os limites precisam ser respeitados. Como diz um amigo, não demora muito e o certo será o errado e ai de quem contestar. Vivemos em um verdadeira Babel (confusão).
E ai, como fica a família da pequena Laís? Quem vai reparar a perda? E a sua memória, quem poderá defender?

Na segunda posto uma foto.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

MEU AMIGO RICO TEM CARRO DE POBRE

Que tal o lamborghini. Que máquina.



Aqui é assim mesmo, desfrutamos de amizades com ricos e pobres. Freqüenta-se um meio aqui, outro ali e as pessoas são diferentes, alguns têm status bem elevado, outros nem tanto. Tem gente que nem staus tem. E assim vai-se vivendo.
Estou quase virando avó, na verdade não quero que isso aconteça, mas tô vendo a hora em que um moleque remelento, de nariz escorrendo se dirija a mim usando o vocativo vovó.
A fase dos sobrinhos postiços foi muito boa. Continua sendo, especialmente quando os vejo formando-se em diversas áreas, ou preparando-se para tal. Os legítimos não chegaram tão longe, mas ainda há tempo para eles também.
Todo este preâmbulo é para contar que encontrei um amigo, daqueles que despertam inveja nos não amigos. Bem sucedido, alto salário, mas andando em carro popular.
Num tempo em que o status fala mais alto que o saldo bancário, fico admirada.
Conheço um montão de gente que ganha muito menos, vive muito mais apertado e tem carro muito mais caro e digo mais, às vezes até mais de um.
Falei com meu amigo: - Tá andando com o carro do primo?
_ Que primo?
_ Do primo pobre,
_ Que nada agora a onda é andar de popular pra não chamar atenção. Sabe como é que é né, seqüestros, assaltos, etc.
Pensei comigo mesma. É verdade!. Mas tinha que ser logo agora que eu pretendia comprar um carrão!!.
É assim mesmo. Meu amigo rico anda de carro de pobre, sem problemas e sem traumas e eu aqui, que ganho muito, mais muito menos do que ele, sonhando com um carrão.
Quem sabe um dia chego lá.

terça-feira, 12 de abril de 2011

BRASIL FORMA MENOS ENGENHEIROS DO QUE PRECISA


Antigamente era assim, pedreiro, daqueles bons mesmo, costumava chamar engenheiro de João de Barro, referindo-se ao pássaro, mas quem dera que tivéssemos maior quantidade Joãos de Barros do que de bacharéis em Direito, por exemplo. É claro que não tenho nada contra os futuros operadores de Direito, mas parece uma epidemia. Dizem que a causa de procura por esta carreira são as inúmeras possibilidades de empregos públicos. Bom, deixa quieto.
Mas voltando à Engenharia, o país apresenta um déficit de profissionais na área, e, ao que tudo indica, mesmo nos grandes centros urbanos.
Sabemos que a engenharia não se limita a construção civil, vai mais além, mas o caso referido na pesquisa mencionada neste texto, parece que se baseia principalmente nesse ramo. Pelo menos é o reflexo nas grandes obras, como pontes, viadutos, etc. Uma hora não concluem a obra por falta de profissionais, outra, alegam defasagem de preços, isso porque as grandes obras são, de modo geral, contratadas pelo governo.
Aqui em Porto Velho temos o exemplo do viaduto da BR 364 (foto). A obra está paralisada há algum tempo. Dizem que os construtores reclamam o baixo valor contratado e que a Prefeitura terá que promover um realinhamento de preços. Enquanto isso, o pouco que ficou pronto está exposto ao sol e chuva e sabe Deus se não sofrerá algum tipo de corrosão, comprometendo a estrutura para o futuro.E cerca de 40 milhões de reais foram gastos ali. Está prevista uma nova licitação. Como diz meu amigo "JC", quem viver verá!

Segundo pesquisas, as áreas preferidas de formação dos estudantes brasileiros no ensino superior são ciências sociais, negócios, direito e serviços (37,1%); humanidades, artes e educação (29,3%). É o que mostra levantamento feito pelo especialista em análise de dados educacionais, Ernesto Faria, do portal Estudando Educação, a partir de relatório da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). Os números apontam que o Brasil forma quase três vezes menos engenheiros do que os países desenvolvidos que fazem parte do grupo.
O estudo reuniu dados sobre 36 países. Entre todos eles, o Brasil tem o menor percentual de formandos em engenharia, indústria e construção: 4,6% do total, enquanto entre os países da OCDE a média é de 12%. Na Coréia do Sul e no Japão, por exemplo, os formandos nessas áreas respondem por 23,2% e 19% do total, respectivamente. O outro país latino-americano incluído na pesquisa, o Chile, tem 13,7% de titulados nessa área do total de concluintes.
www.albertomarques.blogspot.com

segunda-feira, 11 de abril de 2011

BB VISITA DESTROÇOS E RETIRA MÁQUINA

O pessoal do Banco do Brasil visitou na semana passada os destroços do caixa eletrônico da Sete de Setembro, 2557, no bairro N. Sra. das Graças, retirou o caixa eletrônico e deixou o resto lá.
Tomara que o tal equipamento seja recuperado, devolvido ao posto e entre em funcionamento.
Alô BB ter uma caixa aqui nesta região é de grande valor para correntistas e usuários.
Se não tem segurança, coloque o mesmo nas dependências do IPERON.

FORMANDOS EM ARQ E URBANISMO DIVULGAM RIFA













O sorteio do net book aconteceu no dia 17 de fevereiro último, mas só agora consegui a foto. Renata Miranda, aluna do primeiro período de Arquitetura e Urbanismo da Uniron foi a grande vencedora.Essa calouro chegou c h e g a n d o e desbancando os demais.
Parabéns.
Mas formando é assim mesmo e quando está chegando a hora da formatura todo mundo se desespera. É hora de angariar recursos para os eventos. E para não deixar de ser normal, a segunda turma de Arquitetura e Urbanismo da Uniron está correndo contra o tempo e precisando de $$$$$$$$.
Uma nova rifa foi lançada nesta semana, desta vez de uma motocicleta. O sorteio será em setembro.
Já dá para saber que o pessoal é “de boa”, entrega o prêmio, então é hora de comprar.
Se você é com o eu, não anda de moto, é só vender. Tem um montão de gente por ai preparada para pilotar uma máquina de duas rodas. O valor é de cinco reais. Ajude aos universitários de hoje, porque eles lhes serão úteis quando forem profissionais e folha que falta muito pouco. A turma da rifa, por exemplo, cola grau na primeira semana de agosto.
Um abraço e tenha um bom dia.

terça-feira, 5 de abril de 2011


BANCO DO BRASIL ABANDONA CAIXA ELETRÔNICO

Aqui no IPERON, ao que parece, estamos mesmo sem prestígio. Há mais ou menos seis meses, nosso caixa eletrônico, que funcionou pouco mais de um mês, foi arrobado.
A malandragem da área não amaciou.
Resultado: mais de 100 servidores do Instituto, além do pessoal que frequenta o Núcleo de Perícia Médica e outros da redondeza, ficamos sem o nosso caixa.
Ao que parece, o BB abandonou mesmo o seu maquinário. E nós a facilidade de termos um banco na porta de casa.

quinta-feira, 31 de março de 2011

NOVO QUADRO PRA MINHA COLEÇÃO



Minha amiga Alba Solange acaba de contribuir com a minha pequena coleção de quadros. A peça da foto, que está na parede do Instituto há algum tempo, é a minha nova aquisição, ou melhor, recebi de presente.
Assim que tiver uma sala, se é que vou ter alguma no IPERON, vou exibi-la.
Quando me aposentar, levo para casa.
Obrigada Amiga.
Agora é pura abstração.

A MORTE PEDE CARONA

Porto Velho é campeã de recordes esquisitos.
O economista Sílvio Persivo ratifica pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo e Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia que somos os mais devedores, ainda bem que não caloteiros.
Em menos de 90 dias três mulheres foram brutalmente mortas. Primeiro uma jovem de 17 anos, morta pelo possível namorado de 15 anos. Esta semana dois crimes chamaram a nossa atenção. Uma mulher de 49 anos, além de violentada foi morta. As fotos divulgadas na mídia eletrônica foram as mais terríveis. Até profissionais, acostumados com cenas de morte estupida, confessaram que o que viram foi terrível.
Dois dias depois novo caso, agora de uma mulher de 24 anos.
São mortes brutais. Casos que nos deixam a pensar. A quem recorrer?
Ficamos reféns de um mundo em que o ser humano está entregue a maldade. Quem garante que o cara sentado ao seu lado no coletivo não tem a intensão de praticar o mal no dia de hoje? Olha o perigo. Parar para pensar, na certa é pirar. Não é a toa que tem um montão de gente por ai lutando com sindrome disso, daquilo e etc.

quarta-feira, 30 de março de 2011

TEORIA DA CONSPIRAÇÃO

Dia desses estava conversando com um amigo e ele fez uma suposição meio louca. Segundo ele, a baderna de Jirau foi orquestrada pela rapaziada que está hospedada no presídio federal, localizado a caminho de Jacy-Paraná.
É uma viagem e tanto. Acho que nem a teoria da conspiração chegaria a tal conclusão, mas enfim, vai saber.
Ninguém assume a culpa, nem empresa, nem sindicatos (Rondônia e Pará). Nem eu, se você quer saber.
A situação está nesse pé: obras paradas e cronograma atrasado. Um monte de gente ficou no prejuízo, sem emprego e sem grana. E ainda não chegou ao fim.
O distúrbio de Jirau despertou várias outras categorias. Trabalhadores da Construção Civil em Porto Velho pararam por algum tempo as obras da Usina de Santo Antonio, da ponte sobre o Rio Madeira. Trabalhadores das Telecounucações também iniciaram um movimento reivindicatório. Até o pessoal da Prefeitura de PVH foi para rua.
Isso parece ser só o começo.
Dona Dilma que se cuide, porque vem chumbo grosso por ai.
Uma verdadeira chuva de pedras.

BRASIL - BOLÍVIA




Meu amigo Lúcio Albuquerque está convidado a todos para um evento da Academia de Letras, em Guajará-Mirim. Fica aqui o registro. Será o I Encontro Cultural da Fronteira
Brasil/Bolívia, no dia 8. Uma boa pedida para deixar um pouco, a agora tumultuada Porto Velho. Sucesso.

UM CARA DE ATITUDES



Morreu José Alencar, ex vice presidente da república. Isso todo mundo já sabe. às vezes assitia ao noticiário falando sobre as inúmeras internações de Alencar e ficava pensando: esse cara tá sempre de bem com a vida, mesmo com a ameaça da morte sobre ele e cada vez mais forte, mas ele tem sempre um palavra de ânimo.
Tem sido assim com a maioria dos que confessam a Cristo como salvador.
A morte é apenas um momento. Depois vem a vida. E que vida!! Tem gente que nem quer, mas em um determinado momento vai ter que encarar.
Alencar, certamente teve muita coisa na vida que a maioria de nós não aprovaríamos, se de alguma forma pudessemos influenciá-lo, mas quem não tem. Mas também foi uma surpresa para o Brasil. Oito anos trabalhando com um partido, até então de esquerda. Penso que a mídia nunca divulgou uma desavença grave entre ele o Lula ou o seu pessoal. Foi um vice visível, feliz e realizador e o mais importante, que na disputa de um segundo mandato continou como vice do mesmo titular. Este cara tinha realmente muitas qualidades.

sexta-feira, 18 de março de 2011

SOCORRO, FORÇA NACIONAL

O governador de Rondônia, Confúcio Moura (PMDB) não resistiu e recorreu nesta quinta-feira ao governo federal e reivindicou a presença da Força Nacional em Porto Velho, a capital rondoniense. Trinta e seis militares já desembarcaram no Aeroporto Jorge Teixeira.
O caos está instalado na localidade de Jacy Paraná, uma vila, até há pouco tempo bem pacata, localizada a cerca de 100 km de Porto Velho, mas que mudou de “status” com a chegada de Jirau. Desde terça-feira (15), homens, a maioria encapuzados destroem o que vêm a frente. Só uma locadora da capital perdeu mais de 30 ônibus, a maioria novos.
No interior da usina a bagunça não é diferente. Uma funcionária da lavanderia confidenciou que do setor ficaram apenas as paredes. Os grupos desordeiros, afinal de contas ninguém ainda sabe ao certo o motivo de tanta discórdia, uns dizem que foi motivado pela agressão de um motorista de ônibus em um trabalhador, outros alegam questões trabalhistas, o que todo mundo sabe que não se resolve no braço.
Desde quinta-feira muitos estão se dirigindo para a capital, alguns até a pé. Na noite de ontem, alguns grupos já interromperam o tráfego em algumas avenidas, prejudicando especialmente o pessoal que vinha das escolas e faculdades.
A rodoviária está recebendo um grande número de trabalhadores que tentam voltar para casa. As obras das usinas de Jirau reúne trabalhadores de todo o país. Muitos vieram por conta, mas uma boa parte foi trazida pela própria Camargo Correia, que no início de 2010 fretava ônibus para trazer a mão-de-obra especializada.
Alguns resultados contabilizados, dão conta de que foram destruídos 45 ônibus, 15 veículos da administração, 95 instalações diversas e 55 alojamentos. Quem está chegando em Porto Velho e não tem para onde ir, está sendo acomodado em ginásios e escolas. Na capital existe já um clima de desestabilização.
O governador de Rondônia, Confúcio Moura (PMDB) não resistiu e recorreu nesta quinta-feira ao governo federal e reivindicou a presença da Força Nacional em Porto Velho, a capital rondoniense. Trinta e seis militares já desembarcaram no Aeroporto Jorge Teixeira.
O caos está instalado na localidade de Jacy Paraná, uma vila, até há pouco tempo bem pacata, localizada a cerca de 100 km de Porto Velho, mas que mudou de “status” com a chegada de Jirau. Desde terça-feira (15), homens, a maioria encapuzados destroem o que vêm a frente. Só uma locadora da capital perdeu mais de 30 ônibus, a maioria novos.
No interior da usina a bagunça não é diferente. Uma funcionária da lavanderia confidenciou que do setor ficaram apenas as paredes. Os grupos desordeiros, afinal de contas ninguém ainda sabe ao certo o motivo de tanta discórdia, uns dizem que foi motivado pela agressão de um motorista de ônibus em um trabalhador, outros alegam questões trabalhistas, o que todo mundo sabe que não se resolve no braço.
Desde quinta-feira muitos estão se dirigindo para a capital, alguns até a pé. Na noite de ontem, alguns grupos já interromperam o tráfego em algumas avenidas, prejudicando especialmente o pessoal que vinha das escolas e faculdades.
A rodoviária está recebendo um grande número de trabalhadores que tentam voltar para casa. As obras das usinas de Jirau reúne trabalhadores de todo o país. Muitos vieram por conta, mas uma boa parte foi trazida pela própria Camargo Correia, que no início de 2010 fretava ônibus para trazer a mão-de-obra especializada.
Alguns resultados contabilizados, dão conta de que foram destruídos 45 ônibus, 15 veículos da administração, 95 instalações diversas e 55 alojamentos. Quem está chegando em Porto Velho e não tem para onde ir, está sendo acomodado em ginásios e escolas. Na capital existe já um clima de desestabilização.
Segundo a companhia são cerca de dozemil homens.

terça-feira, 1 de março de 2011

ONDE ANDA A GALERA DE JORNALISMO DE 1985 DA SUAM?


Do pessoal que se formou em Jornalismo em 1985, na SUAM, em Bonsucesso, não tive mais notícias.
A turma era animada. Gostaria de reencontrá-la. Nosso Jorge Camargo de Luna não está mais entre nós. Poucos anos depois da conclusão do curso, foi surpreendido por uma enfermidade e partiu. Dos demais ...... saudades.
Tivemos uma ótima convivência de 82 a 85. Em fevereiro de 86 colamos grau na sede da ABI, no Rio de Janeiro, berço do jornalismo carioca.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

NOTÍCAS DO MASP

Exposição do Acervo do MASP
OBSESSÕES DA FORMA – ESCULTURAS DA COLEÇÃO MASP
De 19 de fevereiro a 27 de março de 2011
1º e 2º subsolos do MASP – Galeria Clemente de Faria
Com 50 obras de mestres da arte tridimensional do século 19 aos dias de hoje, além da dupla de guerreiros chineses em terracota, o MASP abre a programação 2011 com uma mostra de seu acervo de tridimensionais, contemplando obras de Renoir, Degas, Brecheret, Felícia Leirner, Calder, Giorgi, Rodin, Ianelli, Duke Lee, Jim Dine e outras dezenas de artistas reverenciados em todo o mundo.

Serviço Educativo
VISITAS TEMÁTICAS PARA O PÚBLICO
Programa de visitas oferecido pelos educadores do Serviço Educativo, ao visitante individual.

Exposição Romantismo
(2º andar) |quartas-feiras das 11h15 às 11h45 |
Orientação: Adriana Puzzilli
O Romantismo como sentimento oceânico, nas artes visuais, pode assumir diferentes resultados. Esse pressuposto será examinado durante visita panorâmica à exposição.

Quatro Bailarinas em Cena, de Degas
(2º andar, exposição Romantismo)| quartas-feiras das 12h às 12h15 Orientação: Adriana Puzzilli

O interesse pelo registro do movimento, sobretudo em personagens como banhistas e bailarinas, será o tema desta visita. A atenção que Degas reservou para a idéia de flagrante na captação da imagem será mais bem compreendida com o exame do contexto histórico em que viveu o artista.

A Virgem com o Menino de Pé, Abraçando a Mãe (Madonna Willys), de Giovanni Bellini (2º andar, exposição Deuses e Madonas)
(sexta-feira, das 11h15 às 12h15) Orientação: Miriam Lustosa
A obra do pintor italiano será estudada no contexto em que se situa na mostra Deuses e Madonas, exposição que faz distintas referências à representação da idéia de sagrado em várias épocas e culturas.

O Serviço Educativo também oferece Visitas Orientadas para grupos, com ou sem Ateliê.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

A PREVIDÊNCIA DE TODOS NÓS









"A previdência é como a vida. Ninguém quer que chegue ao fim".
A frase é minha mesmo. E cada dia, o que se vê é mais e mais cientistas se dedicando à estudos para proporcionar um prolongamento da vida do homem sobre a terra.
Na previdência, não é diferente. É fundamental o seu estudo e isso tem sido levado muito a sério por técnicos.
Economistas, matemáticos, estatísticos, atuários, contadores, legisladores entre tantos outros profissionais que têm buscado fórmulas para modernizar a previdência e torná-la cada dia mais viável.
O cálculo atuarial é uma ferramenta excepcional quando o assunto é previdência. Por ele, calculam-se muitos dados, entre eles, quanto será o desembolso do ente previdenciário para manter seus aposentadados e pensionistas ao longo dos anos, quando a força de trabalho de muitos já estiver se esvaído.
A Caixa Econômica Federal, considerada a líder do mercado em matéria de cálculo atuarial, reúne em sua carteira um grande elenco de institutos previdenciários, inclusive o nosso IPERON, de Rondônia. E no dia 10 de fevereiro reuniu profissionais e gestores de institutos locais para reforçar a lição da importância do cálculo no desenvolvimento da previdência.
De Brasília vieram o atuário Adilson Costa e o gerente nacional Milton Córdova Júnior.
Em Porto Velho, o gerente regional, Wilson Alves de Souza Filho, comandou a reunião. Segundo ele, é muito importante que os novos gestores e servidores investidos em funções com afinidades previdenciárias conheçam os segredos do cálculo previdenciário. "A capacitação é fundamental para estes profissionais", ressalta.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

HORA DA DESPEDIDA



Dias desses o Vitor era um bebê que teve o apoio de uma “tia” para ser amamentado. Foi a tia Lídia. Cresceu menino forte, saudável e bagunceiro como todos os outros que conhecemos.
O despertar para os estudos veio já no meio da adolescência. E o aluno que não dava muita atenção aos estudos, só se importava com notas para passar sofreu uma forte transformação.
O aluno relapso desapareceu e deu lugar a um estudante antenado, atencioso, cuidadoso. Entre os que convivem com ele, não faltavam descrentes e que pensavam até que era apenas fogo de palha. Mas ele provou que era diferente, queria mesmo estar entre os melhores.
Estudar virou mania. De manhã, a tarde, a noite. Até nos almoços de família, quando muito raramente aparecia, ele tinha sempre fórmulas e questões para serem resolvidas.
O resultado veio logo. Ao cabo de três anos do ensino médio vaio a aprovação em quarto lugar para engenharia elétrica da UNIR, décimo lugar para a engenharia de computação, lá no Ceará. Antes disso seu nome foi gravado na galeria dos destaques nas olimpíadas de física e matemática das quais participou.
Para a maioria dos rapazes que concluíram o ensino médio com louvor, isso já seria o máximo. Mas para o Vitor Saldanha Silveira não.
Ele quer mais, muito mais.
Esta semana embarca para São Jose´ dos Campos. Quer fazer um ano de Poliedro, uma das escolas e cursos que mais aprova para as universidades mais concorridas do país.
O curso pleiteado?
Engenharia Aeroespacial.
A primeira turma do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) começou recentemente. A seleção é tão seleta que apenas cerca de dez alunos foram aprovados no último vestibular.
Agora é hora de arrumar as malas. Ajeitar em cada cantinho a saudade dos que vão ficar, porque se tudo der certo, como todos nós esperamos, Porto Velho não será mais o seu domicílio.
Os sonhos do Vitor são os mais belos. Porque é próprio desta idade ter os maiores sonhos. Quem de nós, ou os leitores mais jovens, não sonhou ou sonham em ter uma grande profissão e brilhar, brilhar e brilhar com ela?
Nós estamos aqui nesta torcida. Seria maravilhoso se estivéssemos cercados por muitos Vitor, Hugo, Arthur Victor e tantos outros, para lembrar dos que mais têm se destacado.
Deus abençoe você. A Cida e o Raimundo vão chorar por algum tempo, mas todas as lágrimas serão recompensadas.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

OPORTUNIDADE PARA TODOS

O ProUni é um dos projetos mais bem sucedidos da educação brasileira.
Sou fã de carteirinha, bandeira e quase diploma.
O que temos vistos, lógico há sempre exceções, são alunos esforçados, disputando as melhores notas nas faculdades. Certamente serão excelentes profissionais.
E pensar que muitos jovens talentosos ficariam fora das universidades, ou pelo menos distantes das carreiras dos seus sonhos, por não terem a base sólida da formação para alcaçarem uma vaga nas isntitutições públicas.
Na verdade, o ProUni foi bom para todos os lados. Ganharam os empresários do ensino superior, que tem a garantia do preenchimento de vagas que são pagas pelo governo federal.
Ganharam as famílias que puderam preocupar-se com outros investimentos educacionais, enquanto seus filhos desfrutam do benefício.
O sucesso do programa é incontestável, se assim não fosse, não teríamos hoje mais de um milhão de estudantes inscritos no programa, desejosos por uma bolsa.
Falo do que vivo.
Em 2006, foi a nossa vez. Os meus amigos sabem e eu me orgulho muito. Em Rondônia havia uma vaga para o curso de Arquitetura e Urbanismo. Minha filha preencheu os requisitos e foi selecionada para a vaga. O curso está em fase de conclusão e todos os dias agradeço a Deus e ao ProUni pela oportunidade.
E continuo torcendo e incentivado pessoas a lutarem pelo mesmo benefício.

PROUNI TEM MAIS DE UM MILHÃO DE CANDIDATOS

Brasília – O Programa Universidade para Todos (ProUni) registrou um recorde de inscrições — ao todo, 1.048.631 alunos concorrem a 123.170 bolsas de estudo, sendo 80.520 integrais e 42.650 parciais (50% da mensalidade). Os números, de acordo com o Ministério da Educação, superam os 822 mil registrados no ano passado — a maior marca até então.

Para participar do ProUni, é preciso ter cursado todo o ensino médio em escola pública ou estabelecimento privado com bolsa integral. É necessário ainda ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2010 e atingido o mínimo de 400 pontos na média das cinco provas e não ter tirado zero na redação.

O candidato pode escolher até três cursos, elegendo uma prioridade. A lista dos pré-selecionados em primeira chamada será divulgada na próxima sexta-feira (28). Esses estudantes deverão comprovar informações nas instituições de ensino até 4 de fevereiro. No dia 11 de fevereiro, será divulgada a lista dos pré-selecionados em segunda chamada, com prazo de comprovação de documentos até 17 de fevereiro.

Caso ainda haja bolsas disponíveis, o Ministério da Educação abrirá um novo período de inscrições entre os dias 21 e 24 de fevereiro, com divulgação da primeira lista de pré-selecionados em 27 de fevereiro. Quem já tiver conseguido uma bolsa na primeira etapa de inscrições não poderá participar da disputa.


Fonte: Agência Brasil - Paula Laboissière

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

RONALDO É EXEMPLO PARA CELEBRIDADES



Tem muita gente por ai que deveria pegar o exemplo do craque Ronaldo Nazareno, que não apenas reconheceu o filho, resultado de uma relação extra-conjugal, como também está desenvolvendo uma convivência saudável com o mesmo.
Ronaldo ganha ainda mais na admiração popular. A força do craque, um dia vai passar, mas o seu caráter vai ficar marcado para sempre.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

HAITI, SÍMBOLO AMARGO DA DESTRUIÇÃO

Hoje às 17h53, no nosso horário local, os haitianos vão fazer um minuto de silêncio para lembrar o terrível terremoto ocorrido em 12 de janeiro de 2010, que devastou o país.
A cerimônia acontecerá nas ruínas do Palácio Presidencial de Porto Príncipe.
Segundo reportagem da BBC as ruas do Haiti permanecem cobertas por entulhos, escombros e lixo.
Foram cerca de 230 mil vítimas da catástrofe. Porto Príncipe continua destruída, muita gente morando em barracas que foram improvisadas para atender as emergências, mas acabaram virando moradias fixas.
O Haiti já era um país devastado antes mesmo do terremoto. A já precária infra-estrutura do país foi arrasada na tragédia. O governo do Haiti diz que foram destruídos quase 30 ministérios, 50 hospitais e centros de saúde e 1,3 mil escolas.

AMIZADE & SOLIDARIEDADE










Ontem (11) passe por uma situação constrangedora, um indivíduo, daqueles do tipo “hoje tenho que sacanear/prejudicar alguém” cruzou o meu caminho, ou melhor, apareceu no meu local de trabalho.
Fiz o que não era de minha competência ao atendê-lo, visto que procurei apenas adiantar-lhe, já que as demais colegas não estavam na sala no momento.
O infeliz disse que fiz corpo mole, que não queria atendê-lo, taxou-me de relapsa e irresponsável. Rebati, mas o cara é casca grossa mesmo.
Por fim ele quis saber o meu nome para uma denúncia formal.
Ai entra a solidariedade.
Minha colega e chefe de Gabinete Edna Ribeiro, chamou o dito cujo para um particular e sob a insistência do mesmo, disse que se ele desejava um nome, teria que levar o dela.
Achei a atitude dela muito bacana. Madura e profissional. Não sei se eu mesma seria capaz de tal desprendimento.
Obrigada Edna.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011




VERME?!?!?!


A inversão de valores é uma coisa incrível. Uma colega servidora, que há dez anos está atuando junto ao sistema penitenciário relatou-me a realidade do dia a dia de uma prisão.
Minha colega não tem acesso direto aos presos, ou quando acontece de chegar um pouco mais perto está sempre escoltada. Ainda assim, na rua ela tem sido reconhecida por ex-presidiários, que a chamam de professorinha, uma alusão a distribuição dos livros, especialmente de alta ajuda, para entreterimento dos encarcerados.
Se de certa forma ela tem o respeito dos presos, com o público externo nem sempre isso acontece. Neste caso, ela destaca que de modo especial os parentes dos presidiários, em geral, são os que mais ofendem.
Ela contou que nas vezes em que esteve identificada pela camiseta, comum aos que trabalham no sistema prisional foi chamada de verme pela população.
“Não pense que é um privilégio meu, mas todos agentes e policiais que se identificam são tratados assim por muitas pessoas, especialmente nos bairros”, conta.
Com todo respeito aos direitos humanos, constantemente invocados por presidiários que se acham seres acima da lei, percebemos ai uma inversão de valores. Os agentes da lei e da ordem pública é que passam a ser a praga daninha da lavoura.
Qual o sentido da palavra verme: pessoa desprezível, infame. Sem contar que verme agente extermina, através de medicamentos, sem dó e sem piedade, porque a sua presença causa danos à saúde.
E ai?

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

"VAI TER COM A FORMIGA, Ó PREGUIÇOSO"


Quanto desânimo em ativar nosso blog.
As notícias são inúmeras, mas falta disposição. O ano e novo, mas só o ano mesmo.
No trabalho estou de chefe novo. O tempo ainda está um pouco nebuloso, mas logo logo, acho que vai clarer e vamos ter um belo sol amazônico.
Assim espero.
2011 chega com algumas dificuldades. Ao que tudo indica, vou ter mesmo que operar o ombro. É só questão de dias.
Estive no Rio de Janeiro. Meu Deus, não há terra mais linda que aquela, pelo menos entre as que eu já tive a oportunidade de pisar.
Caminhei pelas areias e calçades de Copacabana e não há democracia maior, do que a que se vê na beira do mar.
O lugar é livre. Vestidos ou despidos, todos podem ir e vir sem restrições. Corpos esbeltos ou atarracados, sarados ou celulíticos. Não tem problema. Viva o Rio, viva eu, viva você!
Feliz 2011 para todos nós!!!!!!!!!!!!!!!!!!!